sexta-feira, 28 de novembro de 2008

A janela e o espelho.


Um jovem muito rico foi ter com um rabi, e lhe pediu um conselho para orientar sua vida. Este o conduziu até a janela e perguntou-lhe: - O que vês através dos vidros?
- Vejo homens que vão e vêm, e um cego pedindo esmolas na rua. Então o rabi mostrou-lhe um grande espelho e novamente o interrogou:
- Olha neste espelho e diz-me agora o que vês.
- Vejo-me a mim mesmo.
- E já não vês os outros! Repara que a janela e o espelho são ambos feitos da mesma matéria-prima, o vidro; mas no espelho, porque há uma fina camada de prata colada a vidro, não vês nele mais do que a tua pessoa. Deves comparar te a estas duas espécies de vidro. Pobre, vias os outros e tinhas compaixão por eles. Coberto de prata - rico - vês apenas a ti mesmo.
Só vales alguma coisa, quando tiveres coragem de arrancar o revestimento de prata que tapa os olhos, para poderes de novo ver...


Votos de Bom fim-de-semana!...

3 comentários:

OlharMeu disse...

Pois... os espelhos.
Espelho meu, espelho meu, será que amanhã... não chove? :)))

Fique bem.

mariam disse...

Serra,
pensamento muito oportuno, nos dias d'hoje onde o querer se centra no umbigo......
tenho estado a ouvir "Djavan" muito bom! Obrigada.

boa semana
um sorriso (transparente) :)
mariam

as velas ardem ate ao fim disse...

Gosto sempre mais da janela...vejo o horizonte..nem que seja apenas o meu.

bjo