sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Somos...




Somos aquilo que sentimos e percebemos. Se estamos zangados, somos a raiva. Se estamos apaixonados, somos o amor. Se contemplamos um pico nevado, somos a montanha. Ao assistir a um programa de televisão de baixa qualidade, somos o programa de televisão. Enquanto sonhamos, somos o sonho. Podemos ser qualquer coisa que quisermos, mesmo sem uma varinha mágica.
Extraído do livro "O sol meu coração" de Thich Nhat Hanh

1 comentário:

as velas ardem ate ao fim disse...

ovGostava de ter escrito este texto.É mesmo isso.

um bjo