sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Pálida Manhã nas minhas férias.


A pálida luz da manhã de inverno,

O cais e a razão

Não dão mais 'sperança, nem menos 'sperança sequer,

Ao meu coração.

O que tem que ser Será, quer eu queira que seja ou que não.


No rumor do cais, no bulício do rio

Na rua a acordar

Não há mais sossego, nem menos sossego sequer,

Para o meu 'sperar.

O que tem que não ser

Algures será, se o pensei; tudo mais é sonhar.

Fernando Pessoa

2 comentários:

São disse...

muito bom, claro.

Feliz fim de semana, caro António.

F3lixP disse...

Tenho um presente pra ti no meu blog! Procura o post "Buxexinhas"! Abraço grande!