segunda-feira, 26 de outubro de 2009

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Pensamento fim de semana.



Tenha sempre uma atitude positiva em relação a tudo o que vê e ouve e, desta forma, traga simplicidade à sua vida.

Brahma Kumaris

terça-feira, 20 de outubro de 2009

A Bola e o Zen.



Certa vez, enquanto o velho mestre Seppo Gisen jogava bola, Gessha aproximou-se e perguntou:"Por que é que a bola rola?"Seppo respondeu:"A bola é livre. É a verdadeira liberdade.""Por quê?""Porque é redonda. Rola em toda parte, seja qual for a direção, livremente. Inconsciente, natural, automaticamente."

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Depende de cada um de nós...


Veja em cada pôr-de-sol, a promessa dum amanhã.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Simples não?



Certa vez, durante uma palestra, um monge perguntou a um mestre Zen:"Qual o significado fundamental do Budismo?"O mestre disse:"Ao final da palestra fique aqui sozinho comigo que eu lhe explicarei."Imaginando que algo muito importante lhe seria revelado, o monge esperou impaciente o fim da preleção. Quando todos saíram, ele perguntou ansioso:"Então, responder-me-ás agora?""Siga-me," disse o mestre e levantou-se. Conduziu o monge ao belo jardim aos fundos do templo, apontou para o bosque de bambus e disse:"Este bambu é longo, aquele é curto."

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Crianças.


As crianças são consideradas como grandes almas pela sua pureza natural. Ensine-as com amor e valores e elas tornar-se-ão adultos fortes e saudáveis.

Brahma Kumaris

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Bolas de Sabão...


As Bolas de Sabão


As bolas de sabão que esta criança
Se entretém a largar de uma palhinha
São translucidamente uma filosofia toda.
Claras, inúteis e passageiras como a Natureza,
Amigas dos olhos como as cousas,
São aquilo que são
Com uma precisão redondinha e aérea,
E ninguém, nem mesmo a criança que as deixa,
Pretende que elas são mais do que parecem ser.

Algumas mal se vêem no ar lúcido.
São como a brisa que passa e mal toca nas flores
E que só sabemos que passa
Porque qualquer cousa se aligeira em nós
E aceita tudo mais nitidamente.
Alberto Caeiro