terça-feira, 21 de setembro de 2010

Compartilhando a arte e o ensinamento ao desapego





Compartilhando a arte e o ensinamento ao desapego

É um trabalho impressionante o dos monges budistas, que fazem as mandalas de sal colorido,
areia, cal, pedras, giz de cera, são sempre perfeitas..

Feitas com o maior cuidado e com a maior dedicação, são desmanchadas logo depois de prontas para demonstrar a transitoriedade das coisas na vida, mesmo que exijam o maior esforço e sejam imagem da perfeição.

A lição pretende ser essa. A de encarar o quotidiano sempre prontos para começar tudo de novo, se preciso for. Nada é mais certo do que a incerteza.

A importância do desapego que o ritual da Mandala mostra, facilita entender que nada de facto nos pertence, que um segundo pode ser a eternidade e que toda mudança tem sua razão de ser.

3 comentários:

São disse...

Seria tão bom se esta lição (nos) chegasse a todos os seres humanos: talvez quem especula e causa a desgraça de tanta gente , reflectisse ...
Boa semana.

RETIRO do ÉDEN disse...

Uma beleza de ensinamento.
Questiono-me...quantas vidas terei eu, de viver, para atingir este estadio?
Abraço
Mer

gloria leite disse...

Nem sempre a mente aceita as verdades e qto mais simples,mais complexas parecem.
Mas tantas vezes o cantaro vai à fonte que abre brecha e deixa entrar algo de novo.
vale a pena continuar!
um abraço MG