terça-feira, 27 de setembro de 2011

Estar em Paz...


ESTAR EM PAZ - Gastamos a maior parte da nossa vida correndo atrás de coisas, fazendo coisas. Esquecemo-nos que “ser” vem antes de “fazer”. Aqueles que têm presente este segredo, fazem empenho para “serem” e descobrem que quando param e observam, a vida ajuda, e traz aquilo que é necessário. Aprender a “ser” é aprender a estar em paz.


Brahma Kumaris

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Poema dos cherokees ( índios do sudeste norte-americano)

Um homem sussurrou: Deus fale comigo!
E um rouxinol começou a cantar
Mas o homem não ouviu.

Então o homem repetiu
Deus fale comigo!
E um trovão ecoou nos céus.
Mas o homem foi incapaz de ouvir

O homem olhou em volta e disse:
Deus, deixe-me vê-lo
E uma estrela brilhou no céu.
Mas o homem não a notou.

O homem começou a gritar:
Deus mostre-me um milagre
E uma criança nasceu.
Mas o homem não sentiu o pulsar da vida.

Então o homem começou a chorar e a se desesperar:
Deus toque-me e deixe-me sentir que você está aqui comigo..
E uma borboleta pousou suavemente
Em seu ombro.
O homem espantou a borboleta com a mão e, desiludido
Continuou o seu caminho triste, sozinho e com medo.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

O Aperfeiçoamento Pessoal


Um praticante certa vez perguntou a um mestre Zen, que ele considerava muito sábio:
"Quais são os tipos de pessoas que necessitam de aperfeiçoamento pessoal?"
"Pessoas como eu." Comentou o mestre. O praticante ficou algo espantado:
"Um mestre como o senhor precisa de aperfeiçoamento?"
"O aperfeiçoamento," respondeu o sábio, "nada mais é do que vestir-se, ou alimentar-se..."
"Mas," replicou o praticante, "fazemos isso sempre! Imaginava que o aperfeiçoamento significasse algo mais profundo para um mestre."
"O que achas que faço todos os dias?" retrucou o mestre. "A cada dia, buscando o aperfeiçoamento, faço com cuidado e honestidade os actos comuns do quotidiano. Nada é mais profundo do que isso."

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Ajuda


Um menino pequeno estava se esforçando para mover um pesado armário, mas o móvel não cedia. Ele empurrava e puxava com toda sua força, mas não conseguia movê-lo nenhum centímetro. O pai, que ali chegava, parou para observar os esforços vãos do filho. Finalmente perguntou:
"Filho, está usando toda a sua força?"

"Sim, estou!" gritou o garoto, exasperado.

"Não", disse calmamente o pai, "você não está. Não me pediu para ajudá-lo.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Observar...

OBSERVAR CALMAMENTE - Ao observarmos com calma, veremos as situações mais claramente, como elas realmente são.

Brahma Kumaris