segunda-feira, 26 de março de 2012

Libertar-se do passado!...

Libertar - O que quer que tenha acontecido no passado, está no passado. Não pense mais sobre isso. Aprenda com o passado e seja cauteloso no futuro. O passado pertence ao passado. Permita-se libertar-se do passado, pois ele não lhe pertence mais. 
Brahma Kumaris

quarta-feira, 21 de março de 2012

Os obstáculos.


Os obstáculos vêm para nos tornar experientes, fortes, e para que possamos avançar com mais coragem em direcção à nossa meta.

Brahma Kumaris

domingo, 11 de março de 2012

Prática do tai chi chuan proporciona equilíbrio e combate o estresse.


A tranquilidade do movimento lento, o contraste entre o cheio e o vazio, a harmonia entre o interno e o externo e as simbologias do poder da terra, da água, do fogo, do metal e da madeira traduzem a prática do tai chi chuan. Ele foi criado com propósitos de combate, como uma arte marcial, mas com o passar dos séculos ganhou ênfase no desenvolvimento da saúde e no combate ao estresse

No tai chi chuan, a suavidade e a flexibilidade superam a dureza e a rigidez. O exercício, que engloba também uma filosofia de vida, enfatiza a harmonia como um meio de melhorar o desenvolvimento da mente e das habilidades físicas. Também é ressaltada a importância do controle da respiração, a prática da meditação e de movimentos naturais do corpo. 

Para o professor do Espaço Bem-Estar em São Paulo, Arthur Dalmaso, durante a prática se trava um combate de você contra você mesmo. Não existe erro, é preciso alcançar seu equilíbrio fortalecendo a respiração, corrigindo a postura e alongando músculos e tendões. Parece um exercício simples e fácil, mas que na verdade exige muita concentração para realizar cada movimento.
A diferença está na sensibilidade da forma. Segundo o livro Tai chi chuan: saúde e equilíbrio, de Fernando De Lazzari, é importante deixar o corpo relaxado e estendido durante a prática. "Quanto mais tensa a pessoa está, menos sensível ela fica. Uma pessoa relaxada tem os sentidos mais receptivos e uma consciência maior do que se passa em seu interior e exterior. O princípio básico do tai chi chuan é aprender a relaxar, ficar calmo, com a mente limpa, seja nos movimentos, seja no trabalho ou em qualquer outra atividade". 

Aluna da técnica há sete meses, Mônica D'Amato diz que recorre aos fundamentos do tai chi para se equilibrar. "Uso os exercícios de respiração em situações do dia a dia que me exigem outra postura", relata. A aluna conta que era muito ansiosa, queria praticar um exercício, mas depois de uma atividade aeróbica se sentia mais ativa ainda. Foi pensando nos três pilares (respiração, concentração e equilíbrio) que ela se aproximou da técnica chinesa.

De acordo com De Lazzari, o tai chi chuan é dividido em duas polaridades: a manifestação exterior (Yang) e cultivação interior (Yin). Todos os movimentos e posturas incluem estas duas polaridades e, na execução dos movimentos, a alternância e a aplicação corretas destes princípios são imprescindíveis: vencer o movimento através da quietude, vencer a dureza através da suavidade, vencer o rápido através do lento. 

Viver em harmonia é contrabalancear o Yin e Yang, é saber proporcionar o equilíbrio para melhorar a saúde, perceber o constante movimento de transformação e ter a capacidade de adaptação a essas constantes mutações. "Quando um praticante de tai chi chuan executa movimentos do corpo de uma forma equilibrada, faz a respiração correta e mantém a mente tranquila e concentrada. Um bom praticante usa o potencial de sua mente e de seu corpo não só na prática do tai chi, mas também no seu trabalho e em suas atividades do dia a dia", relata De Lazzari. 

segunda-feira, 5 de março de 2012

Tulou, Província de Fujian - Ver e aprender


As tulou (Casas de Terra), localizadas na província de Fujian, tornaram-se um tipo especial de construção habitacional vernacular das províncias de Jiangxi, Fujian e Guangdong (Cantão), desde que os Hakka se deslocaram do centro da China para o sul. Como grande parte do povo Hakka habitava nas montanhas, construíu casas colectivas feitas de terra crua, com o propósito de se defender dos malfeitores e dos animais selvagens. As casas mais antigas consistem todas de edifícios interiores circundados por edifícios periféricos de grandes dimensões, possuíndo o conjunto dos edifícios centenas de divisões e habitantes. Com todos as salas, armazéns e poços no seu interior, a enorme “torre” parece quase uma cidade fortificada, bem iluminada, ventilada, à prova de vento, de terramotos, quente no Inverno e fresca no Verão. As casas são feitas de terra, pedra, bambu e madeira, materiais muito fáceis de encontrar na região. As paredes são construídas com terra compactada, reforçada com ramos de árvores, pedaços de madeira e bambu, que funcionam como um esqueleto.
Hoje em dia, existem ainda mais de 20000 tulou, dez das quais têm mais de 600 anos. A mais antiga, a casa “Fuxing Lou” em Hulei, foi construída há mais de 1200 anos e constitui um fóssil vivo do estilo de construção da China central. As tulou localizadas na fronteira da Prefeitura de Yongding com a Prefeitura de Nanjing, são o exemplo máximo deste estilo de construção. A maioria das tulou Hakka estão a ser consideradas para integrar a lista do Património Cultural Mundial da UNESCO.