quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Faleceu o Mestre Chu Hong Ping.


Accogliamo con profonda commozione e tristezza la notizia della morte del Gran Maestro Chu Hong Ping, avvenuta ieri a Kaohsiung alle ore 16.
Le nostre più sentite condoglianze vanno alla moglie e alla famiglia del compianto Maestro.
Il Gran Maestro Chu è stato uomo di grande generosità e spessore umano, e maestro di Tai Chi Chuan di straordinario livello tecnico. Il successo e la crescita che la nostra Scuola sta oggi vivendo deve tutto principalmente al sostegno e alla fiducia ricevuta alla fine degli anni '90 da questo grande uomo, come pure agli insegnamenti da lui ricevuti nella decade successiva.
Ti ringraziamo di cuore Chu Laoshi, non dimenticheremo mai il tuo sorriso luminoso e contagioso e l'affetto con cui ci hai seguito in tutti questi anni. Faremo di tutto per essere degni depositari del tuo insegnamento.

Maestro Massimiliano Biondi -  Scuola de Tai Chi ChuanCheng Man Ching Italia 

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Tai Chi Chuan: perceba a arte da vida.


A arte da vida é algo fascinante. Tantos encantos, ensinamentos, aprendizados, belezas, mas muitas pessoas não pensam desta forma. A beleza está nos olhos de quem vê! A felicidade é um estado de espírito e está ao alcance de todos. O Tai Chi Chuan (TCC) nos ajuda na arte da vida e inúmeros são os aprendizados, como por exemplo: observar, sentir, respeitar, ter foco, equilíbrio, autoconhecimento e paz interior.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

El taichi mejora la estabilidad en pacientes con Parkinson.


Un nuevo estudio realizado con 195 pacientes con Parkinson muestra que la práctica regular de taichi permite mejorar la estabilidad y otros problemas comunes asociados a la enfermedad. El trabajo se publica en la última edición del 'New England Journal of Medicine'.

La media de edad de los participantes era de 68 años. Todos presentaban un diagnóstico clínico de enfermedad de Parkinson suave o moderado; sufrían problemas motores como temblores, ridigez o bradiquinesia (lentitud de movimientos); tomaban medicación para la enfermedad y podían caminar o permanecer de pie sin ayuda.
Los autores del trabajo, de distintas instituciones médicas de Oregon (EEUU), dividieron a los voluntarios en tres grupos, cada uno asignado a una actividad: un programa periódico de estiramientos, un plan de ejercicios de resistencia o sesiones de taichi. Los tres tipos de ejercicio se llevaron a cabo en sesiones de 60 minutos, dos veces a la semana, durante seis meses.
El diccionario de la RAE define taichi como un "tipo de gimnasia china, de movimientos lentos y coordinados, que se hace para conseguir el equilibrio interior y la liberación de la energía". Entre los numerosas variedades que existen de esta "gimnasia", los investigadores adoptaron una tabla de "seis movimientos y ocho posturas".

Plan de entrenamiento

El protocolo exacto que se utilizó en el estudio no está descrito en la publicación del 'New England'. Según explica a ELMUNDO.es Fuzhong Li, del Oregon Research Institute y principal autor del trabajo, los monitores emplearon un folleto que recoge el plan de entrenamiento, entre ellos los ocho pasos del ejercicio que debían aprender los pacientes.
El documento concreta también los seis puntos en los que hacer "énfasis durante el entrenamiento": movimientos de tronco; balanceo del tobillo; desplazamiento del peso del cuerpo; movimientos con las articulaciones del tobillo; coordinación entre los ojos y las manos y ejercicios de respiración.
Los investigadores evaluaron a los participantes al comienzo del estudio y al cabo de tres y seis meses. Durante este tiempo, los pacientes siguieron con su rutina habitual (incluida la práctica de ejercicio adicional). Según los resultados, el grupo de taichi estaba significativamente mejor que los otros dos.
La principal referencia para medirlo fue un indicador llamado"estabilidad postural". Se evaluó según los límites que podían alcanzar los pacientes al realizar una serie de movimientos sin desplazar el centro de gravedad del cuerpo o caerse, y el control de la dirección del cuerpo durante la actividad.
Al cabo del periodo de estudio también se observaron diferencias significativas en otros problemas comunes. Por ejemplo, el número de caídas fue menor entre los que hicieron taichi: un 67% menos que el grupo de ejercicios de estiramiento, y ligeramente inferior respecto a la actividad de resistencia).
Tres meses después de concluir la investigación, los resultados se mantenían. En el trabajo, según explica Fuzhong, no se midió la curva de aprendizaje de los ejercicios de taichi. "Sin embargo, al analizar los datos, no vimos una mejora clara hasta después de cuatro meses", explica el investigador, que considera que este tiempo puede reflejar el tiempo necesario para aprenderse los movimientos.

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Cuando amas...


Cuando amas tu verdad, amas la verdad del projimo, porque entiendes que al igual que ellos tu estas viviendo tu propio proceso, cuando amas tu verdad no te apegas a ella porque sabes que todo en esta vida cambia al igual que tus verdades, estas se van puliendo cual piedra preciosa cae en manos de un buen artesano. (do facebook)

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Dor ciática.


Aviso de uma amiga minha que reencaminho:
Como consequência de um trabalho de investigação na área da Acupuntura, estou de momento a procurar pacientes que sofram de Dor Ciática para a aplicação de tratamentos com acupuntura.
Os pacientes serão atendidos em Lisboa sem qualquer tipo de custo para os mesmos.
Os pacientes deverão apenas assumir o compromisso e responsabilidade de receber tratamento 2 vezes por semana, durante um mês completo.
O plano para inicio dos tratamentos estará agendado para iniciar entre a 3ª e 4ª semana de Novembro.
Peço a todos os amigos e conhecidos que repassem este email ou, caso conheçam alguem que possa estar interessado, entrem em contacto através do email xanagilsilva@gmail.com ou telef 920022776.
Um muito obrigado,
Alexandra Gil
Terapeuta de Medicina Tradicional Chinesa

skype: xana.gil.silva

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

A Chuva...


A chuva não é um lamento do céu. É uma oportunidade de acordarmos a nossa criança interior que deseja sentir os pingos gelados na cara, saltar nas poças que se formam no passeio, desafiar o vento com o guarda-chuva e chegar a casa com lama até aos joelhos. E o que é que nos impede de o fazer?

Retirado do facebook - página CHEGAR.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

DR.YU YONG NIAN A LIFE OF WISDOM (died October 2th with 93 years old)


Yu Yong Nian was born in 1920 he studied western medicine and around 1944 after  long years of hard study that had turn his body very weak, he started training internal martial arts with the famous Yiquan Master Wang Xiang Zhai.
 He explains :"in the very beggining it was not easy for me …I had too many doubts. One side the famous master didn't really looked like a Wushu Practitioner ;he looked more like someone who studies a lot .Normally the Wushu practitioner look healthy and they are full of muscles ..."
 "The second big doubt was about the Zhang zhuang practice…I mean will you believe that your physical condition ,your strenght can be improved by being there standing for hours?no,  of course not"
 "...And when it comes to the healing aspects of this posture this was the hardest one. After some time with the Liberation  we use to train in Tai Miao close to Tiananmen ,we had so many sick coming to the park looking for Wang. It was stunning how in some weeks these people had came pulled by others on a wheel chair and they could now start to walk by themselves. Soon I started to use this method to treat cronic disease back in hospital and we created a new department : The exercise department on the Phisiotherapy department..."
 On a conference in Beijing and in another in Shanghai we reported about our research on Zhang Zhuang Theraphy and it was very succesfull .Many hospitals and Sanatoriums  created the exercise room on the Phisiotherapy department. On  that time people start to call it Qigong…I guess the name is more Fancy that the Zhang Zhuang.
 Qigong became famous  in China and even internationally and then they appear some other Qigong different from the original Zhang Zhuang .These ones promised much more ,even miracles ,and they surround them selves with misticism .They could send Qi to a long distance and change the composition of water .These fake qigong ,had  a quick success and a quick decline.
Today Zhang zhuang practice is not use anymore in hospitals.
 The old master remind us that today there is no need to blindly believe all those ancient superstitions we have very usefull tools to measure and observe the internal world.The idea of internal development we have inherit fron ancient times can now be  proven by modern science.
This old master still teaches Zhang Zhuang under the guidance of Laozi ´s Tao Te Jing in Biomecanichal terms. (http://www.nexuschina.net/detail-eng.php?t=team-eng&p=639)              

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

A essência das posturas e do movimento na prática do Tai Chi.


As formas existem em todas as artes marciais orientais e nelas encontramos os movimentos e as posturas corporais característicos da arte em questão. As posturas podem ser concebidas como locais num mapa pelos quais passamos, e os movimentos podem ser imaginados como os caminhos que ligam essas posturas. Assim, a forma é um tipo de mapa em movimento.
A essência das posturas do corpo
A raiz está no pé, o ataque é da perna, a direção é da cintura e a figura está nos dedos das mãos.
“Como qualquer outro assunto que é muito especializado, o Tai Chi desenvolve em muitos dos seus praticantes uma atenção rigorosa aos pormenores. Para alguém que está de fora, a posição exata do pé ou da mão, talvez pareça trivial. Para alguém que está bastante envolvido com a arte, uma ligeira alteração do peso ou do acto de virar o pé dez graus, faz muita diferença: um praticante consciente percebe essas pequenas mudanças como uma sensação física real. Esses pormenores, portanto, desempenham um papel importante na realização regular das formas (…)”
Paul Crompton, The Elements of Tai Chi, 1990
1. Cabeça
A sua posição é rigorosa: o praticante deve treinar a cabeça, evitando que os músculos do pescoço fiquem tensos. A cabeça não deve inclinar-se para os lados, nem oscilar. Muda-se a direção da cabeça conforme a direção do corpo, movimento que deve ser acompanhado pelo olhar. Pode direcioná-lo para a mão que se encontra numa posição superior, ou através desta, para o vazio, mantendo sempre a cabeça direita. Não olhe para o chão porque isso implicaria entortar o pescoço e fazer erguer os ombros. A face deve estar descontraída, o queixo para dentro e a boca fechada. A ponta da língua deve encostar, descontraidamente, o palato.
 2. Tronco
Ao treinar Tai Chi deve manter o tronco direito e cómodo, sem curvar-se para a frente ou para trás, nem inclinar‑se à esquerda ou à direita, o que poderia deixar as costelas e os músculos do ventre tensos.
 A. Peito e costas: “Afundar o peito e endireitar as costas” significa que não se deve encolher nem erguer demasiado o peito. À medida que os movimentos dos braços são efetuados, os músculos das costas estendem-se; nessa altura, os músculos do peito relaxam-se, o que permite submergir a respiração para o abdómen, tornando-a solta e livre. A coluna deve estar direita deixando a cabeça, o tronco e os quatro membros atuar livremente. Aja como se a sua coluna vertebral fosse um fio com contas.
B. Cintura: Tem um papel muito importante na manutenção das posturas correctas já que funciona como o eixo do nosso corpo, durante todas as posturas e movimentos. Conscientemente, pode baixar a cintura e afundar a energia. Não deve endireitar com força para a frente nem a cintura nem o ventre, porque isso prejudicaria a postura do corpo. Relaxar a cintura ajuda as pernas, tornando-as mais firmes, permitindo a execução dos movimentos levemente e com perfeição. Em coordenação com o relaxamento da cintura, endireite a coluna conforme a sua posição fisiológica normal. Manter o equilíbrio através do relaxamento da cintura garante movimentos leves, ágeis e estáveis.
C. Nádegas: Para manter a boa forma corporal, é preciso evitar a todo o custo levantar as nádegas. Basta deixá-las estar como estão naturalmente, sem as mover para os lados. Ao relaxar a cintura e erguer as costas, encolha ligeiramente os músculos das nádegas a fim de manter o tronco direito.
 3. Pernas
Durante todo o exercício, os movimentos de avançar, retirar e enviar a força, bem como a manutenção do equilíbrio do corpo, dependem sobretudo das pernas. Deve prestar atenção à posição na qual pousa os pés e também à posição das pernas quando altera o centro de gravidade do corpo. De facto, a postura das pernas tem uma função muito importante na imagem do corpo inteiro e na transformação dos movimentos, sendo preciso treinar os vários passos.
Para treinar as pernas, comece por relaxar a cintura, a anca e os joelhos. Assim, ao avançar e retirar, os pés podem levantar e pousar levemente. Ao avançar, pouse em primeiro lugar o calcanhar, podendo depois pisar firmemente o chão e deslocar o peso do corpo para essa perna. Quando dominar a transformação do avançar e do retirar, as suas pernas podem começar a aliviar-se alternadamente do peso do corpo, diminuindo então a tensão e o cansaço dos músculos.
Tenha em atenção que os joelhos são uma articulação particularmente importante, a qual deve cuidar sempre. Quando dobrar as pernas, mantenha o joelho em cima do tornozelo, não devendo aquele ultrapassar o meio do pé (exceto nas posições baixas).
 4. Braços e Mãos
“Afrouxar os ombros e pendurar os cotovelos” é uma expressão técnica do Tai Chi que salienta a relação coerente entre estas articulações. “Afrouxar os ombros” significa mantê-los relaxados e afundados; se os subir, a energia vai subir com eles, e todo o corpo vai ficar sem força. “Pendurar os cotovelos” significa mantê-los para baixo, de forma a não obrigar os ombros a subir; os cotovelos encontram-se geralmente mais abaixo do que o pulso.
As posições das mãos e dos ombros são geralmente feitas ao mesmo tempo. Quando recolher a palma da mão, dobre ligeiramente o pulso; para abrir a mão, levante-a e mantenha os dedos direitos, mas ligeiramente curvados; ao cerrar o punho, evite fazer muita força. Caso empurre demasiado a mão, o braço ficará esticado, numa posição incorreta; por outro lado, se afrouxar muito os ombros, e não estender a mão para a frente, o braço ficará dobrado, sem força. Por isso, tente manter o braço com um certo nível de curvatura, alongado mas não esticado. Ao empurrar e recolher as mãos, nunca se perde a força de repente.
Retirado de:
http://caminho-natural.org/tai-chi/a-essencia-das-posturas-e-do-movimento-na-pratica-do-tai-chi/

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

40 Minutos de prática à Chinesa.



Durante a minha experiência de alguns anos com professores chineses nunca me foi dito que não podia parar ou baixar os braços durante a prática.
40 minutos de postura da árvore poderiam ser o objectivo principal mas nesses quarenta minutos está implícito parar, baixar os braços, beber um chá, sacudir o corpo ou caminhar pela sala.
Com o passar do tempo esses 40 minutos em que tudo é possível fazer mas em que o foco é a prática da postura tornam-se efectivamente 40 minutos ininterruptos e transformadores.
Ao passo que 40 minutos em que só é possível praticar a postura levam-nos a querer praticar tudo menos a postura. E dificilmente chegaremos aos 40 minutos de prática porque entretanto optamos por uma outra prática mais adaptada às nossas circunstâncias.
Retirado dehttp://devagar.org (Lourenço Azevedo)

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Tai Chi - aulas.


Aulas de Tai Chi

Consulte os locais e horários na minha página em:

http://espiritotaichi.no.sapo.pt/aulas.html

domingo, 1 de setembro de 2013

Holidays finished!... Férias acabaram!...


Pois é... As férias acabaram! Estamos de volta a um novo ciclo da vida. Foi o descanso, o relaxamento e também o Tai Chi. Foi ver os meus netos e partilhar com eles o meu "eu".
Que bom foi ter férias! Que bom é o regresso!...

domingo, 28 de julho de 2013

Tai Chi Master, Kunming, China - Forma de Pequim (24).




Este video foi postado no "youtube" como um apontamento de alguém que visitou a China e ficou "maravilhado" com a prática de Tai Chi em pleno lugar público. Podem-se ver alguns curiosos que pararam para assistir a esta pequena demonstração. A forma de 24 é das mais conhecidas a nível mundial. Entra inclusive nos campeonatos.
Nos comentários reparei que alguém criticava este "suposto mestre" pela execução da forma. Atribuindo-lhe muitos erros de posturas e de movimentos. Se verificarmos mais alguns vídeos desta forma, executada por "grandes mestres", há pequenas diferenças entre eles. Para já não falar que este praticante (não sei se ele é ou não mestre de Tai Chi) está vestido com roupa do "dia a dia" e não com um fato próprio para a prática. 
Quem pratica Tai Chi há alguns anos vai dando conta da sua evolução na prática das formas que aprendeu. Vai dando conta do seu sentir e da forma como a energia flui. Isso sim é bem mais importante. A grande virtude da prática do Tai Chi é que, como seres diferentes que somos, "sentimos" diferente. O Tai Chi é um "caminho" constante feito de prática diária. E é também uma forma de ser e estar na vida...

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Wonderful World.


Quando exploramos novas perspectivas positivas, preenchemo-nos internamente com uma grande luz de entusiasmo e de vida.

Brahma Kumaris

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Be Strong and Yet Flexible like a Tree in the Wind.


All great masters of Chinese health and martial arts have spoken about the importance of training one’s internal energy (qi) as well as the external form. One of the most proven methods employed for building internal energy is the standing meditation, Embracing the Tree.
The body needs to be correctly aligned so that all force sinks to the ground through the feet. At first, many people will experience soreness and tightness in the shoulders, arms and neck. Gradually, the muscles relax and the tendons and connective tissues become stronger. Tension flows slowly down the torso, through the legs and into the ground.

It is very important to practise Embracing the Tree daily, even if only a few minutes. Students who seek the greatest health and strengthening benefits should begin practising the Standing for 5 minutes and gradually build up to 20 minutes. This could be achieved over a period of 3 to 12 months. During this time, you will feel as if your feet have taken root into the ground - thus, the analogy of a tree. The Standing Qigong exercise is very important in helping you to sink your qi to the Dan Tian (the body centre). Many Tai Chi masters who practise the method of Embracing the Tree can withstand the push of three or more people. 

domingo, 21 de julho de 2013

Lao Tzu - Tao Te Ching.


“A leader is best
When people barely know he exists
Of a good leader, who talks little,
When his work is done, his aim fulfilled,
They will say, “We did this ourselves.”
― Lao Tzu, Tao Te Ching

quinta-feira, 4 de julho de 2013

2,000 steps- a-day for 92-year-old Taoist.


Zhang Yuanzhen, 92, climbs the footsteps at Tiantai Mountain in Hanzhong city, Shaanxi province, onJune 29, 2013. Zhang has been a Taoist priest since he was 18. Then he started to learn martial artsand Taoism medical skills from his teacher Sang Zonglun in Zhouzhi county of the same province. Hecame to stay at Tiantai Mountain in 1989. For 92 he is in good health and can climb more than 2,000footsteps everyday.[Photo/CFP]


sábado, 29 de junho de 2013

Visão.


Sábio é aquele cuja visão repara naquilo que está à sua disposição, e não naquilo que está a faltar.

Brahma Kumaris

terça-feira, 4 de junho de 2013

Cheng Man Ching Push Hands Instruction.




Prof. Cheng Man Ch'ing was undoubtedly one of the most famous Tai Chi Chuan Grand Master of the nineteenth century. He was a great human and cultural personality, man gifted with exceptional talent and versatility, Cheng Man Ch'ing was able to reach the highest tops in five different matters: painting, poetry, traditional medicine, handwriting and Tai Chi Chuan. Form here on his nickname “Master of the five Excellences” that followed him all his life long. Prof. Cheng was chronologically the last of the inside the door students of the great Yang Cheng Fu. He also was at the same time a well-known doctor herbalist, deep expert of the secrets of the internal energy (Ch'i). From these important experiences was born, at the end of the Thirties, the work that made him famous in Tai Chi Chuan: the work of simplification of the 108 Form of the Yang style. This new reduced sequence is called 37 Form and appears as a clean, flowing, reduced and essential Form, conceived to make the trainee tune with the purest essence of Tai Chi Chuan and to put him in condition to understand easier and quicker the fundamental principles of this internal martial art. 37 Form, which is among Tai Chi Chuan’s Form, the one that better underline the principle of relaxation, reveals to be an effective exercise to cultivate the energy and internal strength, that allows to obtain mind peace and spirit elevation. Therefore it fits everybody who, even with short free time, wishes, without prevaricating, to go into the heart of this marvellous martial art. Prof. Cheng Man Ch'ing, during his teaching, had many students, some of them are today highly esteemed world famous Masters.
Retirado de:

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Tai Chi - Um modo de (estar na) vida.


“Muitas vezes, como professor de Tai Chi, recebo telefonemas de pessoas a quererem saber o que é o Tai Chi. A mesma pergunta surge quando faço uma demonstração de Tai Chi para uma nova classe. O problema é que o Tai Chi é uma experiência, um modo de vida, e as palavras não conseguem expressar a sua verdade intrínseca. Podemos falar sobre Tai Chi, mas ninguém consegue dizer o que é.“


John Lash, 2002

terça-feira, 21 de maio de 2013

Be patient.



Quando somos pacientes e sabemos esperar o momento certo para realizar uma tarefa, podemos
contar com uma grande probabilidade de sermos bem sucedidos.

Brahma Kumaris

sábado, 11 de maio de 2013

Workshop de Zhan Zhuang Chi Kung orientado pelo Peter Den Dekker.


(4 de Maio de 2013 - Foto de grupo)


(5 de Maio de 2013 - Lourenço Azevedo, Sílvia Romão, Peter Den Dekker e António Serra)

Lembrem-se quantos sistemas de Chi Kung ou exercícios já praticaram e ficaram para trás.
Repetir é importante – até à exaustão se queremos ser artistas.
Lembrem-se quantas horas diariamente um músico pratica ou um escritor escreve.
Repete 1000 vezes um exercício e se não o entendes repete mais 1000 – Diz a tradição chinesa.
Mas o mais importante para além desta repetição exaustiva é a integração no dia a dia.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Seminário Tai Chi e Chi Kung com o Mestre Xuan Wu.



Será já a 11 e 12 de Maio que em Montemor-o-Novo, haverá mais um seminário de Tai Chi e Chi Kung com o Mestre Xuan Wu, em parceria com o Espaço do Tempo e com o apoio da Câmara Municipal.
 Poderão reservar o vosso lugar enviando um mail para info@caminho-natural.org.

Se quiserem espreitar como foi o ano passado, poderão fazê-lo aqui Um fim de semana (em) cheio! e aqui Testemunho do António Serra.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

O Circo de Silvia Romão.



No Domingo à noite começaram a chegar camiões grandes e coloridos. Foram-se reunindo aos poucos no campo atrás de minha casa. Na segunda-feira de manhã enquanto me espreguiçava no terraço olhei de novo para eles. Tinham ganho forma, eram uma companhia de circo. Na segunda-feira a tenda estava montada, a bilheteira aberta e os anúncios postos a circular pela vila. Terça-feira à noite foi o dia do evento. Juntou-se a população para assistir ao maior espetáculo do mundo. Quarta-feira de manhã de novo no terraço volto a olhar. Das cores, do circo, da festa nem vestígios. Tinham partido para outro local onde, durante três dias irão cumprir de novo este ritual. A cada três dias, os artistas de circo começam tudo de início para acabar três dias depois.
Sentada no sofá da sala em frente à lareira e com uma chávena de chá na mão, estou em casa. Aparentemente o quadro é perfeito. Contudo esta sensação de pertença a um lugar, de encaixe neste abrigo que me oferece segurança e conforto nem sempre emerge. Tantas vezes acontece estar em casa e sentir-me longe, insatisfeita, com a sensação de que me falta algo para conseguir relaxar profundamente e apreciar o momento em que estou.
Inspirada pela vida dos artistas do circo, imagino como fazem para se sentirem em casa nos seus dias de contínuo movimento. Calculo que nas suas vidas não existam com frequência sofás em frente a lareiras em casas de tijolo, cimento, telhas e janelas de vidros duplos. Em cada local onde pousam nem sequer há tempo para criar raízes, consolidar hábitos, descobrir conforto. Ou tirar prazer de coisas tão simples como saber a que horas o pão acaba de cozer e ir a correr buscá-lo para que desapareça rapidamente numa dança sucessiva de fatias com manteiga.
Talvez eles tenham descoberto que o sentimento de chegar a casa não é algo que possa ser encontrado externamente. Casa é um conceito abstrato, sem forma nem local. Um conforto genuíno e duradouro que só existe dentro de nós mesmos.
Todos os dias quando nos sentamos para meditar, temos a oportunidade de explorar os cantos internos  da nossa mente onde nos podemos sentir seguros e confortáveis. Sem pensar no que deixámos por fazer no passado nem no que ainda temos para organizar no futuro. Apenas sentindo-nos por inteiro, tal como estamos no presente onde não há nada que possa ser retirado ou acrescentado.
Meditar é chegar a casa. E casa transforma-se assim em algo que se move conosco onde quer que vamos. Onde nos podemos recolher, procurar abrigo e conforto sempre que precisarmos.
Nós, este corpo animado por esta mente, somos a nossa casa. A meditação pode ser a porta de entrada.

terça-feira, 2 de abril de 2013

Aulas Tai Chi iniciados.




Aulas de Tai Chi – estilo Yang (iniciados) na Rua da Rosa nº 285 (ao Bairro Alto), às 5ªs feiras das 19h às 20h. Ainda temos vagas em aberto. Se pretender iniciar-se nesta arte marcial interna é só enviar um "mail" para: serra.taichi@gmail.com. Venha praticar connosco!...

terça-feira, 26 de março de 2013

Diógenes.


Estava o filósofo Diógenes comendo lentilhas quando viu o filósofo Aristipo, que vivia, confortavelmente, com base em lisonjear o rei.
E Aristipo disse-lhe:
“Se aprendesses a ser submisso ao rei, não terias que comer esse lixo de lentilhas".
Ao que Diógenes replicou:
“Se tivesses aprendido a comer lentilhas, não terias que bajular o rei".


quinta-feira, 21 de março de 2013

Existe sempre...



Há um ditado tradicional que diz: para cada pessoa forte, existe sempre uma outra mais forte; para cada pico de montanha alto, existe sempre um ainda mais alto.

sexta-feira, 15 de março de 2013

Empréstimo.



Quando alguém nos empresta algo – seja uma casa de férias, um carro para fazer mudanças, um casaco para nos agasalhar numa noite inesperadamente fria – normalmente tomamos especial cuidado, damos especial atenção para que, quando devolvermos aquilo que nos foi emprestado, tenha sofrido o mínimo de danos possível.
O corpo que temos – diferente para cada um de nós – é onde a nossa mente existe, o nosso espírito se manifesta e a nossa alma encontra espaço para morar. Tudo isto em conjunto faz de nós aquilo que verdadeiramente somos. Nada mais a tirar nem a acrescentar.
Aquilo que o corpo é, é também aquilo que é a mente que o habita ou a alma que o anima. Todos se influenciam mutuamente. Então, porque não cuidar do corpo para que a mente possa brilhar e o espírito aceder a um conhecimento cada vez mais sábio.
Não é difícil. Basta que cuidemos dele como algo que nos foi emprestado. Este corpo aparece no momento em que nascemos e terá uma duração limitada que pode ser mais ou menos longa. Tal como num empréstimo, nunca nos vai verdadeiramente pertencer, há-de chegar o dia em que o teremos de devolver. O que acontece à mente não cabe a mim definir porque isso depende daquilo em que cada um de nós acredita. Mas o corpo esse, tenho a certeza de que se o tratarmos como algo que nos foi emprestado:
- Com atenção
- Com carinho
- Com cuidado
- Com respeito
- Com gratidão
Tornaremos este momento em que o empréstimo dura um momento muito mais enriquecedor. Com a certeza de que estamos também a tratar daquela nossa parte menos clara, menos compreensível, mais “desobediente”: – a mente.
Num corpo que é tratado com o mesmo respeito que tratamos algo que não nos pertence, a mente floresce, a alma cresce e a meditação simplifica-se.
(Silvia Romão - http://devagar.org/chegar/?p=106)